sábado, 24 de setembro de 2016

Não sou o único

Texto 04
11:05  23/9/2016 11:58


Não sou o único

Agora estão querendo limitar o nosso acesso a internet. Eu vejo muitas pessoas reclamando nas redes sociais, e escuto algumas conversas rápidas nos cantos das ruas sobre esse assunto. Mas é isso, poucas pessoas realmente levam isso como uma ameaça e querem fazer algo para impedir o controle que querem impor em nós.

Contudo, eu vejo ocasionalmente nas mesmas redes sociais, pessoas passando horas discutindo e argumentando sobre coisas fúteis como filmes, bandas, personagens e etc. Como por exemplo, usando #TeamCap e #TeamIron, se referindo aos lados opostos do novo filme que foi lançado pela Marvel neste ano, e onde há essas marcações, há também discussões imensas de pessoas defendendo o seu time imaginário favorito. Teorias gigantes e horas de conversas jogadas fora para defender um ponto de vista sobre qual seria o melhor time e porque. Mas quando é referente a algo sério, as pessoas são extremamente breves em seus comentários e ações, e sempre com a cabeça fechada para enxergar o outro lado da história.

O mesmo aconteceu quando algumas pessoas começaram a se mobilizar para pedir o impeachman da atual presidente da república, o assunto era um tanto quanto ignorado em detrimento à moda da época. E uma coisa nunca parou de acontecer, é o brasileiro ficar fazendo piadinha enquanto ele não é afetado por algo negativo e/ou algo que ele almejava não dá certo.

O brasileiro (leia-se o acomodado) desiste no primeiro tropeço, faz piada do que continuou após o primeiro erro, e chama de trapaceiro ou de injusto aquele que chegou à algum lugar por não ser acomodado como o piadista.

As pessoas veem corruptos denunciados na televisão em rede aberta para toda a população, mas continuam votando na mesma pessoa com o argumento mais absurdo que encontram, o famoso "rouba mas faz".

Essas mesmas pessoas acompanham o processo de aprisionamento de corruptos e a soltura destes fazendo piadas e rindo com a boca bem aberta, dizendo que é assim mesmo, e não tem como mudar.

Ironicamente são essas pessoas que muitas vezes dizem ser brasileiras e não desistem nunca!
Não sei se isso é falta de inteligência ou se é hipocrisia. Talvez uma boa medida das duas coisas.

O povo que mais desiste, que mais procura desculpas para não fazer algo, que posterga algo até seu limite, é o meu. Meu povo brasileiro. Para ser bem honesto, não sei quando foi que chegamos a esta situação, nem o porque continuamos nela. E para ser mais honesto ainda, não me importa agora. O que me incomoda e me irrita os nervos, até o último deles, é a falta de perspectiva de mudança ou ao menos a vontade de melhorar e deixar de ser assim.

Sim, talvez a nossa esperança já tenha morrido a muito tempo e até esqueceram de enterrar.

Mas eu me recuso a acreditar que eu seja o único a me sentir mal por fazer parte de um povo tão acomodado. Que aceita tudo de cabeça baixa e troca seus valores pessoais e morais na primeira oportunidade que traga alguma vantagem.

Eu me recuso a participar de uma discussão fútil por horas e horas sobre o time imaginário de um filme que nem foi lançado, enquanto políticos ganhando salários maiores de 20 mil por mês para comparecer uma vez a semana no senado reclamam do salário. E o mais absurdo, ao reclamar do próprio salário extremamente alto enquanto grande parte da população passa por apertos financeiros tentando ter uma vida digna e buscando a ascensão. E fazem comparações dizendo que recebem menos que professores, mais uma vez eu me pergunto se essas pessoas são hipócritas ou ignorantes.

Eu ainda não engoli o abuso feito pelos policiais aos professores no estado de São Paulo e do Paraná. Porem na cabeça da maior parte da população isso nem é e nem foi um problema, foi só mais uma coisa daquelas que acontecem e dizem que "as coisas são assim mesmo, quem tem dinheiro passa por cima das leis e de quem está impedindo o caminho". Não, não é assim que funciona, e só a opção de considerar isso uma opção é um absurdo sem precedentes.

Por isso eu criei este grupo, a Legião, para buscar pessoas que não se encaixam nesse absurdo.
Para tentarmos buscar a melhora do nosso país, que é lindo e tem coisas extremamente boas para oferecer ao mundo e a nós mesmos moradores desta terra, contudo está passando por uma doença terrível que está afetando o cérebro da população, e são tantas pessoas doentes que ser doente virou o novo normal.

Eu me recuso a participar desta nuvem de ignorância que passeia pelas ruas sem rumo, mas afetando todos os moradores de todas as cidades do país. Eu quero fazer algo diferente pelo meu país, eu quero ver ele melhorar, eu quero ver a corrupção acabar e os bandidos caírem do pedestal e enfrentarem a justiça.

Eu acredito que com este grupo, reunindo todas as pessoas com a mesma vontade de melhorar nossa terra, podemos fazer com que a justiça prevaleça ao mal. Não espero que seja algo fácil, nem que seja algo instantâneo, eu tenho ciência das dificuldades e limitações que enfrentamos e enfrentaremos, só que tem um porem. E este porem é o que fará toda a diferença na nossa busca pela liberdade de exercer nossa cidadania e ter uma vida digna. Este porem é que eu não considero a opção de desistir como uma opção. Falhar não está nem perto de ser uma opção, desistir muito menos.

Juntos, reunidos, temos a força necessária para acabar com os terroristas que sugam nosso país desde a época dos nossos avós. Com uma direção honesta e objetivos firmes, somos imbatíveis, somos juntos uma legião.

deel

sexta-feira, 23 de setembro de 2016

Não irei desistir

Texto 03
11:15  22/09/2016  11:41

Não irei desistir

     Estou com esta página abertaa 14 minutos, e não sei o que escrever. Contudo, eu disse que iria escrever todos os dias durante um mês, e é o que eu vou fazer. Sobre a qualidade do que é escrito, o único julgamento que pode ser feito é o técnico, e não sobre o conteúdo, visto que o entendimento e a aceitação depende totalmente de quem lê.
     Todo mundo tem dias ruins, hoje foi o meu por exemplo. O sentimento de desanimo é natural. Parece que todo o seu esforço não está sendo recompensado e nada está caminhando como você gostaria, e a vontade de desistir é grande. E é exatamente aqui é que está o ponto que define quem você vai ser. Todos temos desejos, vontades, e realizamos nossos projetos pessoais e enfrentamos dificuldades ao longo do caminho. O problema é desistir quando está engrenando, e voltar à estaca zero.
     O desanimo veio, a vontade de não vir aqui escrever e, acabar com os meus planos de manter a disciplina e consequentemente aumentar a minha responsábilidade, foi grande. Mas eu tenho um propósito, e não posso deixar que nada tire o meu foco dele. Comecei a valorizar o meu tempo, e entender que o próximo minuto só vai depender de mim, e por isso eu tenho que fazer valer a pena.

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Não seja enganado pela zona de conforto

Texto 02
10:23  21/09/2016 11:25

Não seja enganado pela zona de conforto.

      Um dos pontos críticos necessários para entender os parágrafos a seguir, é entender que a felicidade não é um lugar onde você chega. Muitas pessoas acham que serão extremamente e eternamente felizes caso ganhem na loteria por exemplo, pois com muito dinheiro elas "chegariam ao ponto onde a felicidade está". Contudo, apesar da felicidade ser de fato maior no momento de receber o dinheiro, após algum tempo a felicidade da pessoa volta a ser o que era antes. O que mudará serão os bens materiais e as novas oportunidades que o dinheiro trará caso esta pessoa esteja disposta a encarar os novos desafíos e oportunidades que foram abertos a ela.     
     A felicidade de cada pessoa depende de cada pessoa. De um valor íntimo que cada indivíduo coloca sobre tudo, e com a realização de atos que geram o crescimento pessoal. Por exemplo, algumas pessoas que ficaram extremamente doentes consideram estar felizes quando estão bem de saúde. Outras que um dia não tiveram comida por dias, consideram o simples fato de ter um almoço todo dia um motivo para estar feliz. Pois cada pessoa teve uma necessidade diferente, e atribuiu um valor diferente a cada coisa, da mais simples até a mais complexa.     
     Por conta disso, é perceptivel que a zona de conforto é uma das área mais perigosas da vida de qualquer pessoa. É vista como o ponto limite na vida, onde não seria possível estar melhor, e é usada como espelho de uma idealização.
     Apesar de ser excelente a ideia de ter um objetivo de estabilização pessoal, realizando apenas a "manutenção da felicidade", tem várias consequêcias ruins neste pensamento, e muitos vícios negativos, que consequentemente levam à um desequilíbrio pessoal e a estagnação. 
      A pobreza incentiva ao trabalho e até mesmo ao estudo, para conseguir mais riquezas; O sobrepeso resulta em hábitos mais saudáveis e uma regulação alimentar saudável e a realização de exercícios físicos e que acaba resultando em aumento da auto estima; A vergonha na falta de argumentos em uma discussão leva ao estudo e aprendizado de várias novas coisas; E me atrevo a dizer que situações completamente caóticas e desesperadoras levam à busca da divindade e ao equilíbrio espiritual.
     Em todos os casos, o negativo acaba atraindo o positivo, para que no final de tudo haja um equilíbrio e uma ordem natural seja mantida, com progresso constante e aprimoramento pessoal. E a cada nova realização feita a partir de um ponto negativo, gerando um positivo, a satisfação pessoal vem acompanhada da felicidade. O que nos torna ávidos por mais e mais, continuando com o constante progresso ao longo da vida.
     Como foi usado no exemplo do começo deste texto, a pessoa que está hoje feliz por ter um almoço, esteve desconfortável e buscou a melhora daquela situação. Levando ela a agir em busca do aprimoramento pessoal para que conseguisse atinger o seu objetivo. O desconforto que ela sentia no passado fez com que ela agisse com garra em busca da melhora de vida, genrando nela um sentimento de felicidade. Resumidademente, o caos é a força motriz para as ações em busca da paz e do equilíbrio.
     O sujeito do exemplo usou o caos, que é algo negativo, para buscar a paz, que é algo positivo. E manter um equilíbrio na própria vida, gerando a asenção pessoal. Ele não foi passivo em relação às dificuldades encontradas, lutou em busca do que lhe parecia melhor e não desistiu até alcançar o objetivo que tinha em mente. O que gerou à felicidade, como já vimos.
     Agora a zona de conforto vem para quebrar todo este processo de conquista. E deve ser encarada como uma doença que deve ser evitada a qualquer custo. Encarada como uma doença psicológica que limita você de ser quem você gostaria de ser. Que faz com que você vá se esconder atrás dos seus medos durante as dificuldades, ao invés de sair do casulo e enfrentalos para sobresair vitorioso. É a doença que gera pensamentos como "Não sou bom o suficiente", "Por mais que eu tentasse eu jamais conseguiria", "Algumas pessoas tem mais facilidade que as outras em algumas áreas, eu não me dou bem nesta área, por isso eu nem me esforço, pois sei que jamais vou conseguir", etc...
     A zona de conforto é o que impede você de correr atrás dos seus sonhos mais genuínos que residem no fundo da sua mente. É o que impede muitos alunos de terminarem os seus cursos na faculdade após as matérias começarem a ficar difíceis; Impedem você de encontrar um trabalho melhor, pois você tem alguns benefícios e já sabe o que fazer no emprego atual, mesmo que você odeie ter que sair de casa para ir trabalhar; Impede você de sair de um relacionamento péssimo que é altamente destrutivo por medo de "não encontrar alguém melhor"; Em suma, é tudo aquilo que te diz que você não consegue, que não é capaz e que não valeria o esforço, pois você teria que se esforçar de mais para ter aquilo que você almeja.
     Quando você diz para si mesmo que você chegou no seu limite, o único limite que está sendo imposto é uma linha imaginaria que cruza seu caminho dizendo que a sua capacidade é limitada, e você não está mais apto ao progresso, permanecendo no mesmo lugar, um limite imaginario que a própria pessoa traçou, dizendo que alí é onde tudo acaba, independente do que aconteça. 
     A zona de conforto é um criador de covardes. Quando o negativo vem, como por exemplo uma pessoa que tenha desenvolvido problemas cardíacos proveniente de sobrepeso e falta de exercício, o lado positivo que geraria uma saúde melhor e satisfação própria ao ter progresso em vencer uma batalha contra o sedentarismo, nunca acontecerá. Essa pessoa dirá a sí mesmo que ela não é capaz de sair dessa situação pois ela gosta muito de comer alimentos que façam mal e que não gosta de sair de casa nem para uma caminhada. Pois ela está confortável, apesar de infeliz, confortável. Ela já criou um limite dizendo que não é possível passar daquele ponto, pois sabe que terá que se esforçar para tal, gerando muito desconforto até que a satisfação seja atingida gerando felicidade.
     Não deixe que esta doença afete você. Para o seu próprio bem jamais deixe que os negativos se acumulem na sua vida. Em hipótese alguma diga que você não é capaz e não consegue alguma coisa, tenha mais fé e acredite no seu potencial, pois você é capaz de grandes coisas. Você é capaz de tudo que está disposto a pagar o preço por. Só não deixe que a zona de conforto fique lhe dizendo que este preço é caro de mais, caso contrário, aquele limite imaginario dizendo o que você consegue fazer ou não vai ser colocado na sua mente, e vai resultar em uma vida também limitada, impedindo você de conquistar a asenção e a felicidade genuína.
     Até mesmo quando tudo está bem, a zona de conforto está agindo e deve ser algo a ser no mínimo estranhado. Pois a rotina e a falta de conflitos corroboram com a estagnação, impedindo o constante progresso. Contudo, isso deve ser levado em conta apensar pelas pessoas mais ambiciosas.
      Caso você não seja uma pessoa ambiciosa, e a felicidade já tenha sido encontrada após o todo o processo de desconforto e luta em direção ao objetivo, e você esteja se deleitando em seus espólios, não há com o que se preocupar. Apenas aproveitar a recompensa suada que foi obtida após muita luta.
     E sempre manter em mente que a zona de conforto é o estado em que você não está feliz, e tem medo de mudar. Pois ao invés de você se tornar um lutador que encontrará o equilíbrio após o caos, será um covarde que morrerá infeliz com os limites que foram impostos por si mesmo.

terça-feira, 20 de setembro de 2016

Não há necessidade de ser segunda-feira ou dia primeiro.

Texto 01
10:02 20/09/2016 10:17



Não há necessidade de ser segunda-feira ou dia primeiro.

     Somos observadores dos nossos próprios atos. Sabemos se estamos indo mal em uma matéria na escola, estamos abaixo ou acima do peso, procrastinando de mais, e etc..
     Então vem o pensamento de mudança, uma vontade inspiradora de fazer o errado ficar certo, e colocar tudo em ordem e na linha correta, pois seria sem sentido algum perceber um erro e continuar insistindo nele sem previsão ou vontade de melhora. Contudo, o grande erro acontece repetida e diariamente. O processo de melhora é postergado. A velha mentira "Começarei segunda-feira sem falta!" ou "Já no começo do mês começarei todos os meus planos de mudanças". E, na maioria esmagadora das vezes, esta segunda-feira que vem vira a segunda da próxima semana, e o começo do mês vira o começo do mês seguinte, até o fim do ano onde vem as promessas de ano novo e as reflexões sobre a própria vida.
     Não há necessidade de começar o projeto novo na próxima semana ou mês se você tem disponibilidade na hora. Não faz o menor sentido continuar postergando as tarefas futuras, e ir empurrando todas as possíveis melhoras até uma data incerta e adiada para o dia que nunca chega.
     Se você tem algo em mente que precisa ser mudado o quanto antes, mude o quanto antes. Não espere que a sorte e o acaso levem você a atingir o seu objetivo. Depender da sorte nunca foi e nunca será a melhor opção na vida de um ser com capacidade de raciocínio. Quanto mais você demorar para realizar os seus projetos, maiores são as chances de que esse projeto fique engavetado para a eternidade e seja levado para o seu caixão junto com você.
     Toda aquela velha conversa de que o espírito cultural brasileiro faz com que as pessoas posterguem o que pode ser feito amanhã para depois de amanhã é balela de preguiçoso. História dita para conformar a própria falta de capacidade e não sentir culpa no processo. Seja mais do que apenas um ser que recebe tudo do mundo e não interage e nem faz diferença. Seja menos passivo e mais ativo. Não deixe que a preguiça tome conta da sua vida, o contrário é necessário, caso contrário, não haverá progresso se não houver muita sorte.

Este texto foi inspirado na ideia de um a série de textos diários a serem escritos e que poderia ter deixado para escrever no dia primeiro do mês que vem e, que poderia (e muito provavelmente) não ter existido, pois seria postergado novamente ou até mesmo esquecido.